Estuprador em série é identificado por trabalho conjunto entre polícias civil do Tocantins e de Goiás

Um homem suspeito de cometer vários estupros nos estados de Goiás e do Tocantins foi identificado graças ao trabalho conjunto das equipes da Polícia Civil dos dois estados.

A identificação se deu por meio de exames de confrontos de perfil genético realizados pelo Instituto de Genética Forense do Tocantins e pela Polícia Científica do Estado de Goiás.

O homem foi preso no início do ano no município de Itacajá, região norte do estado, pelo crime de estupro de vulnerável. Ele é o principal suspeito de cometer ao menos sete outros crimes da mesma natureza, em cidades dos dois estados ao longo dos últimos três anos.

De acordo com o delegado-chefe da 50ª DP de Pedro Afonso, Bernardo José Rocha Pinto, desde a época dos fatos, a Polícia Civil aprofundou as investigações para descobrir se o indivíduo preso no Tocantins seria o mesmo que teria cometido uma série de estupros no Estado vizinho, uma vez que havia semelhança no modo de agir do autor, bem como, o material genético coletado pertencia a um único suspeito. Ante a fundada suspeita de que o indivíduo poderia ser o autor dos mencionados estupros, a autoridade policial representou ao Poder Judiciário para a coleta do material genético e inserção no banco nacional de perfis genéticos.

Identificação 

Desse modo, nesta semana, a Polícia Científica de Goiás informou a autoridade policial que a coleta do material genético do suspeito e sua inclusão no Banco de Dados Nacional de Perfis Genéticos foi fundamental para que o indivíduo fosse identificado em quatro estupros ocorridos em Goiás, sendo três adolescentes em Aparecida de Goiânia e uma maior de idade em Goiânia.

Ainda de acordo com as informações levantadas pelas equipes da 50ª DP, o referido indivíduo já tinha sido preso em flagrante, em Aparecida de Goiânia, em 2017, também por estupro. Dessa forma, comprovou-se que ele praticou, pelo menos sete estupros em Goiás e no Tocantins, no período compreendido entre 2017 e fevereiro de 2020.

Desde o mês de fevereiro de 2020, quando foi capturado pela Polícia Civil do Tocantins, o homem encontra-se preso na Casa de Prisão Provisória de Guaraí. Na época, ele foi preso em flagrante, em Itacajá, pelo crime de estupro de vulnerável, tendo por vítimas, duas adolescentes. O delegado informa que em relação a esse crime, o processo já está concluso para sentença.

“Além da prisão provisória, mencionada, ele ainda está preso preventivamente por um dos estupros de Goiás e também há uma sentença condenatória do estupro de 2017”, frisou o Delegado.

Segundo ele, a identificação positiva do homem como sendo o autor de vários crimes contra a dignidade sexual representa mais uma eficiente ação da Polícia Civil do Tocantins que não mediu esforços para elucidar os fatos e descobrir se o homem preso no Tocantins seria um estuprador em série.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: