Carlesse acompanha fiéis em romaria ao Senhor do Bonfim em Natividade

Carlesse deu uma pausa em sua agenda de trabalho nesse sábado (14) e se juntou aos romeiros na caminhada para participar do Festejo do Senhor do Bonfim, que ocorre anualmente no município de Natividade.

No domingo (15), ele se recolheu ao altar principal do santuário para um momento de oração e foi recebido na casa paroquial pelo pároco Leomar Souza: Esse é um momento de fé, de união de todos os tocantinenses. É um momento de recolhimento e agradecimento ao Senhor do Bonfim pelas graças, pelas conquistas e para pedir força, saúde e inteligência para enfrentar os desafios. Estou renovado e feliz de estar neste local religioso e histórico, junto com o povo e com o padre Leomar, que nos recebeu tão bem. O santuário do Senhor do Bonfim é um local abençoado, ideal para agradecer as graças recebidas e renovar a nossa fé”, ressaltou.

Para melhor atender os visitantes, foi realizada a limpeza do local, das rodovias de acesso, bem como, policiamento ostensivo nas rodovias e no interior do santuário. Essas ações realizadas pelo Governo, visam proporcionar mais comodidade aos que procuram o santuário para pagar suas promessas e buscar paz espiritual.

Os romeiros também contam com o Centro de Apoio para atendimento aos fiéis das 6 às 23 horas, desde o dia 7 deste mês até esta segunda-feira (16). Os visitantes são recepcionados por uma equipe multifuncional que oferta água, alimentos leves, banheiros, cadeiras para descanso, assistência à saúde e orientações sobre os protocolos de distanciamento da Covid-19.

Tradição e Festa do Bonfim 

O Festejo do Senhor do Bonfim de Natividade ocorre há mais de dois séculos e deu origem à primeira igreja construída no povoado, em 1.750. Segundo a tradição, um vaqueiro encontrou uma imagem do Senhor do Bonfim em cima de um toco de árvore e, após levá-la para Natividade, a imagem voltou a aparecer de forma inexplicável em Bonfim, nas cercanias da sede do município. Como o santo não parava na cidade, os devotos começaram a seguir a pé até o povoado, onde até hoje rezam, fazem e pagam promessas por graças alcançadas e atribuídas ao Senhor do Bonfim.

É tradição que os moradores da cidade comecem a organizar os festejos e se preparar para receber os romeiros com meses de antecedência. Geralmente pessoas mais velhas e devotas preparam o templo, lavando-o e enfeitando o altar. Como não há acomodações para os milhares de romeiros, famílias preparam alimentos e abrem suas casas para acomodar gratuitamente parentes e conhecidos. Porém, a grande maioria se instala em tendas armadas nos arredores da igreja.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: